Alameda Glete, 766/778 - São Paulo-SP 11 3331-7866

Vácuo e Vazamento – Parte 2

Gostou? compartilhe!

Vácuo e Vazamento – Parte 2

Para evacuarmos adequadamente a parte interna de um circuito de refrigeração devemos utilizar o equipamento certo que neste caso é a “bomba de vácuo”.

As bombas de vácuo são disponíveis como unidades autônomas ou com a parte integrante de uma estação de carga completa.

Normalmente para serviços na refrigeração doméstica e comercial os técnicos utilizam as bombas de vácuo autônomas, sendo que dentro de indústrias ou locais de grandes volumes de equipamentos de refrigeração ou ar condicionado são utilizadas estações que podem fazer evacuação de várias unidades simultaneamente.

ATENÇÃO: é extremamente importante a medição do vácuo executado, para termos certeza de atingirmos o “nível de vácuo exigido”, para isto necessitamos o vacuômetro, que é o aparelho que mede o nível de vácuo internamente no circuito de refrigeração.

Devido à baixa pressão obtida no circuito interno, pela ação da bomba de vácuo, além dos gases, pequena quantidade de água que possa existir entrará em ebulição e na forma de vapor também será extraída pela bomba de vácuo.

Podemos afirmar que um nível de vácuo aceitável para as instalações e/ou equipamentos de refrigeração esteja abaixo de 1000 microns mas os valores ideais seriam:

a-) para montagem de equipamentos de refrigeração dentro de indústrias utilizando-se estações de vácuo e carga completa: 50 a 100 microns;

b-) para serviços no campo de montagem e instalação de equipamentos utilizando-se unidades de vácuo autônomas (bomba de vácuo portáteis): 300 a 500 microns;

ATENÇÃO: compressores herméticos ou semi-herméticos nunca deverão funcionar quando submetidos à estes níveis de vácuo, pois nestas condições o nível de isolamento elétrico fica sensivelmente reduzido podendo com facilidade produzir descargas elétricas que poderão danificar o compressor.



Gostou? compartilhe!